fbpx
OEE

O que é OEE, por que é importante e como calculá-lo?

quarentenaPowered by Rock Convert

O que é o OEE ? Você conhece? Nesse artigo mostramos como calcula-lo e os ganhos que gera no seu negócio e na redução do seu custo!

As dúvidas quanto às condições do comércio atual e a elevada concorrência significam que agora, mais do que nunca, as empresas precisam maximizar a eficiência dos processos e avaliar os custos de produção. Por isso, vale a pena entender o que é OEE (Overall Equipment Effectiveness) e levá-lo em conta para operar suas linhas de produção com maior acurácia e eficiência.

Nos últimos anos, o indicador OEE tem sido aplicado por diversas companhias de produção em série e apresenta resultados altamente significativos.

Além dos resultados positivos, com a utilização desse método, é possível que você não precise mais ficar tanto tempo na empresa, pois ele torna seu negócio mais independente e gera um ambiente de confiança. Dessa forma, sobra tempo para que você fique com a família e tenha a oportunidade de pensar em novas estratégias e projetos para garantir, cada vez mais, uma renda significativa.

Agora, para entender como esse indicador pode mudar a história da sua empresa e a sua vida, preste muita atenção às 6 informações a seguir!

 

1. O que é OEE?

O OEE é a eficiência global das máquinas, ou seja, o padrão ouro para medir a produtividade de fabricação. Simplificando, é um indicador que identifica a porcentagem de tempo de fabricação verdadeiramente produtivo.

Calcular OEE é uma prática recomendada de fabricação. Medindo o OEE e as perdas subjacentes, você obterá informações importantes sobre como melhorar sistematicamente seu processo de fabricação. O OEE é a melhor métrica para identificar perdas, avaliar o progresso e melhorar a produtividade dos equipamentos de fabricação, ou seja, eliminar o desperdício.

O OEE é o produto de três fatores valiosos para entender a eficiência da máquina. São eles:

 

1. Disponibilidade

Trata-se do percentual de tempo em que a máquina esteve trabalhando em comparação à totalidade de tempo disponível para utilização. Pode ser representada por “perda da máquina ou setup e regulagens”.

O tempo por que o equipamento fica parado pode ser classificado em:

  • paradas planejadas, que são períodos inevitáveis, como lavagem de equipamentos, programas de manutenção, final de semana e feriados e intervalo de refeições;
  • paradas não planejadas, as quais podem ser evitadas, por exemplo a falta de matéria-prima, falta de operador, defeitos etc.

Mesmo que o tempo de inatividade planejado não seja especificamente parte do cálculo de OEE, ele pode ter um grande repercussão na produtividade total.

 

2. Qualidade

Este indicador avalia as perdas geradas pela produção de materiais que não podem ser entregues ao cliente ou que são oferecidos com defeitos.

Monitorar e detectar uma faixa tão ampla de problemas e de integridade do produto proporciona um nível muito mais alto de controle das falhas que provavelmente ocorrerão durante a produção.

Portanto, condiz com a relação entre o tempo de fabricação total pelo tempo perdido com a produção de peças defeituosas. É possível ser representada como “Perdas por refugo ou retrabalhos”.

 

3. Performance

Refere-se à relação entre a velocidade real que a máquina operou e a velocidade padrão a que ela deveria trabalhar. Dessa forma, perda de performance significa que o equipamento permaneceu operando abaixo da velocidade ou ritmo satisfatório.

Essa perda pode ser tanto por pequenas paradas quanto por queda da velocidade de produção. A redução da performance é difícil de ser percebida em ambos os casos, devido a períodos de ciclo curtos e a existirem pequenas variações no processo.

Por causa da dificuldade, essa etapa deve ter uma atenção diferenciada para que os cálculos sejam os mais aproximados possíveis, já que o tempo padrão da produção impacta diretamente o custo do produto e a ocupação fabril.

Sendo assim, o OEE proporciona avaliar separadamente as ações que influenciam na eficiência global.

 

2. Para que serve?

O OEE serve como referência para a eficiência com a utilização dos ativos da empresa. Isto é, a proporção do produto que foi feito para a quantidade de mercadoria que poderia ter sido gerada, dadas as condições ideais na planta de processamento. A produção máxima sustentável é uma expectativa razoável do que a planta deve ser capaz de atingir em condições ideais.

O resultado do OEE é um número adimensional conveniente e que pode ser usado para medir o desempenho da planta uniformemente, permitindo que o gerenciamento da eficiência da máquina gere comportamento positivo e motivação para melhorias na produção.

Os componentes do OEE precisam estar relacionados um com o outro para permitir a melhor medição. Um fator facilmente comparável é o tempo, que deve ter atenção prioritária, pois, como dizem, “tempo é dinheiro”. Vale a pena ressaltar aqui que nos referimos ao tempo modelo, já que se trata do tempo ideal para a produção ágil de peças, a fim de garantir o resultado esperado dentro do plano criado.

Isso permite uma classificação de comportamento deficiente e facilita a identificação das causas de baixo padrão do OEE. Os tipos de perdas de produção operacional são:

  • por falta de demanda por produtos;
  • por disponibilidade de equipamentos;
  • devido ao desempenho lento ou subótimo de processo ou equipamento;
  • por produção de má qualidade ou recuperação de produto.

O intuito do OEE inclui todas as áreas dentro da planta que contribuem para todos ou qualquer dos componentes citados acima, com exceção do componente de demanda que é voltado para o mercado.

 

3. Como calcular?

O OEE leva em consideração todas as perdas (tempo, velocidade e qualidade), resultando em uma medida de tempo de fabricação verdadeiramente produtivo. É calculado como a proporção do tempo totalmente produtivo para o tempo de fabricação planejado.

Na prática, é resultado da seguinte operação: OEE = Disponibilidade × Desempenho × Qualidade. Se as equações para Disponibilidade, Desempenho e Qualidade forem substituídas, teremos o resultado da eficiência global da máquina, ou seja, se houver uma disponibilidade de 80%, um desempenho de 97% e uma qualidade de 82%, a OEE será de aproximadamente 63%.

Esse é o cálculo “mais simples” do OEE. Com um pouco de reflexão, pode-se entender que a multiplicação da boa contagem pelo tempo de ciclo ideal resulta em tempo totalmente produtivo (fabricando apenas peças boas, o mais rápido possível, sem tempo de parada).

Para facilitar o entendimento, vamos mostrar, agora, como são feitos os cálculos dos fatores para poder colocar na fórmula acima e chegar ao resultado final.

A disponibilidade é calculada como a proporção do tempo de execução para o tempo de produção planejado, na qual o tempo de execução é simplesmente o tempo de produção planejado menos o tempo de parada. Portanto, na prática, é calculada como: disponibilidade = tempo de execução / tempo de produção planejado.

Por exemplo, com um equipamento, tem-se a intenção de produzir em 3 turnos de 6 horas. Dessa forma, a disponibilidade da máquina é de 18 horas. Caso a máquina fique disponível por apenas 9 horas, a sua disponibilidade foi de 50%.

Em relação à performance, ela é calculada como a proporção de tempo de execução de rede para tempo de execução. Na prática, é calculado como: “desempenho = tempo de ciclo ideal x contagem total / tempo de execução”. O ciclo ideal da máquina é o tempo teórico mais rápido possível para fabricar uma peça. Portanto, quando é multiplicado por contagem total, obtemos o tempo teórico mais rápido possível para fabricar a quantidade total de peças.

Por fim, a qualidade é calculada como a proporção do tempo totalmente produtivo (apenas contagem total do fabricado o mais rápido possível sem tempo de parada) para o tempo de execução líquido (o tempo mais rápido possível para a contagem total). Na prática, é calculado como: qualidade = boa contagem / contagem total.

 

4. Quais são as vantagens de se medir o OEE?

As vantagens desse método de medição são várias, como permitir a identificação da oportunidade de melhoria a partir de tomadas de decisões a curto prazo, pois o resultado reflete diretamente as causas da baixa eficiência da máquina ou do processo.

A longo prazo, o OEE ajuda você a melhorar a linha de produção por meio da compreensão das perdas. Ele também fornece uma maneira objetiva de estabelecer alvos de melhoria e rastrear o progresso em direção a atingir esses objetivos.

Além disso, impede que notícias operacionais sejam camufladas, garante uma revisão dos dados de processamento e revê as informações sobre a performance dos equipamentos.

ideiaPowered by Rock Convert
Um dos benefícios notáveis do OEE que levou à sua ampla adoção é o uso eficiente e efetivo de equipamentos e instalações existentes.

O OEE ajuda as indústrias a produzir mais sem investir em novas capacidades de fabricação. Isso se faz reduzindo o tempo de inatividade, minimizando o tempo de configuração e melhorando o desempenho do operador. O método é direcionado principalmente para o melhor processo de produção possível, aumento da lucratividade e promoção da sobrevivência econômica.

A ferramenta fornece uma consciência completa das atividades — em tempo real — que ocorrem no chão de fábrica. Sua ênfase na visibilidade dá uma imagem verdadeira do estado atual do processo de produção, ou seja, o OEE é uma poderosa ferramenta de controle.

Com uso do OEE, problemas subjacentes de deficiências de produção e restrições de desempenho de fabricação não são apenas descobertos, mas classificados de acordo com os mais importantes, onde quer que ocorram, já que informações precisas estão disponíveis para apoiar ações decisivas.

O OEE ajuda você a visualizar o desempenho em termos simples. Ele faz isso tomando as fontes mais importantes e recorrentes de perda de produtividade, distribuindo-os nas três categorias importantes, de disponibilidade, desempenho e qualidade, e, em seguida, filtrando-os em uma única métrica, que mostra onde você está e como melhorar. Os indicadores constituintes do OEE são eles próprios úteis na mudança de situação.

O OEE trabalha e fala para todos. As informações fornecidas são direcionadas a todos os níveis do processo de produção: desde a equipe do piso de fabrica até o gerenciamento de nível superior.

As informações do método são perspicazes e desencadeiam equipes para ações de melhoria: para equipes de nível de chão de fábrica, promovem a resolução de problemas de grupo e a competição saudável entre equipes. Permitem também que o gerenciamento de nível superior se concentre em áreas que renderão os maiores retornos. A ação positiva em todos os níveis aumenta a moral e desenvolve atitude positiva e autoestima.

O ambiente de fabricação de hoje exige processos de produção enxutos e extremamente eficientes. A barra de desempenho está aumentando continuamente. A concorrência é em escala global. A adoção de melhores práticas pelos fabricantes está em uma tendência ascendente, já que a concorrência certamente aumentará.

Os fabricantes que desejam manter sua competitividade de ponta nesta área de jogo global devem abraçar completamente o OEE em seu processo de produção. OEE, afinal, é a norma da indústria para fabricação viável.

O poder do OEE em tempo real é duplo. Primeiro, fornece operadores e pessoal de produção com um alvo, com base na taxa máxima sustentável e realizável, dado o atual grau de alimentação e disponibilidade de equipamentos.

Isso permite que os operadores alterem o processo em tempo real para alcançar seus objetivos de produção, tornando esta uma abordagem pró-ativa para o OEE satisfatório. Isso significa que o sistema também se comporta mais como um sistema de controle, em vez de apenas um sistema de relatório que permite uma intervenção imediata garantindo perdas minimizadas.

Em segundo lugar, é possível compreender as causas da perda ao reconhecer os tipos de restrições e desenvolvendo estratégias que podem melhorar ou mesmo remover a restrição ao longo do tempo (assim movendo a restrição em outro lugar no processo).

As seguintes etapas são essenciais para a execução de um processo de melhoria contínua:
  •  1: Identificar os pontos de problemas do sistema;
  •  2: Decidir a melhor maneira que resolver os impasses;
  •  3: Subordinar todo o resto à decisão acima;
  •  4: Reavaliar o sistema com as modificações tomadas;
  •  5: Se, no passo anterior, não houve um resultado esperado, volte para a etapa 1.

Os ganhos e perdas devem ser sempre analisados em prol da otimização do resultado final. Isso faz parte da estratégia de melhoria contínua.

Dessa maneira, a análise da OEE permite abranger todas as áreas da empresa por meio de seus resultados, auxiliando as autoridades e a gestão, de modo que direciona os cuidados da equipe em prol do aumento da eficácia global da empresa.

As perdas e incapacidades das máquinas que integram a estratégia de uma fábrica significam uma fração significativa do que não está sendo utilizado dentro de um planejamento esperado.

 

5. Como potencializar os resultados do OEE?

Após entender um pouco como funciona o OEE, você já deve ter percebido o quão importante ele é para alavancar a produtividade na sua empresa.

Agora, vamos entender como você pode fazer para aumentar os resultados desse método e torná-lo ainda mais significativo. As práticas que mais chamam atenção nesse quesito são:

 

Capacitação dos trabalhadores

Os funcionários devem estar atentos e capacitados para a resolução de qualquer problema no equipamento ou processo de produção, sem a necessidade de chamar toda a equipe. Dessa forma, o trabalhador precisa conhecer as possíveis situações que podem refletir a queda de desempenho e resolvê-lo.

Portanto, vale ressaltar a importância do treinamento de toda a equipe, para que qualquer um possa tomar as ações necessárias para manter a máquina operante e a todo vapor, mantendo a eficiência esperada.

 

Ação conjunta ao OEE

Para uma maior visibilidade dos planejamentos por todos os funcionários, é importante a utilização de displays simples e grandes. A utilização desse suporte torna o OEE útil de fato. Análises de problemas automáticos mostrarão em tempo real as principais causas de parada e consequente perda de tempo da máquina.

Outra importante tarefa dessa assistência é a perda de tempo na troca de turnos e nos momentos pré e pós essa alteração de empregados. Todas essas mudanças são, por meio desse método de auxílio, direcionadas aos gestores de produção por meio de alarmes, o que os deixa cientes dos problemas que devem ser corrigidos.

 

Manutenção dos relatórios

Todas informações devem ser transparentes e honestas. A seriedade na construção de relatórios e gráficos dará garantia da eficiência da gestão baseada no OEE. É indispensável conhecer e ter claros o tempo ideal de cada equipamento, perdas por atraso, refugo e outras informações que podem afetar a velocidade de produção e a qualidade.

Após o conhecimento adequado desses dados, é fundamental a divulgação deles para envolver toda a equipe de produção com números reais e, assim, garantir o auxílio de todos para a correção das falhas.

 

Integração com outras ferramentas

O OEE é considerado único e ideal para o funcionamento real da linha de produção. Por isso, vale a pena garantir o conhecimento desse método por todos e planejar a sua integração com outros sistemas da empresa.

Desse modo, os outros setores da empresa trabalham com mais precisão e com maior resolubilidade, já que as informações advêm do chão da fábrica.

 

Promoção de confiabilidade aos funcionários

Como já foi dito, é necessária a participação de todo o time em prol da resolução e melhoria da fabricação. Para que isso ocorra com mais facilidade e rapidez, é importante passar mais autoridade e responsabilidade aos funcionários, capacitando-os e, consequentemente, deixando-os mais produtivos.

 

6. Quem são os principais usuários e drivers do OEE?

O equívoco mais comum sobre OEE é que muitas organizações pensam que esse indicador é puramente uma ferramenta de engenharia e, portanto, apenas relevante para esta ciência. A maioria das falhas de implementações OEE ocorrem exatamente por causa dessa interpretação equivocada. Isso ocorre devido à palavra “equipamento”. Os dados coletados nessas implementações tendem a ser muito técnicos e de pouco valor para todos.

Você deve lembrar que o OEE realmente representa a eficiência geral do desempenho da produção. Como resultado, os principais usuários e drivers do OEE se estendem além de apenas engenharia.

Abaixo estão as linhas que acreditamos serem fundamentais para uma implantação bem-sucedida dessa metodologia:

  • produção (Operações) é realmente o usuário mais importante do sistema. Isso ocorre porque eles entendem a real causa de uma linha ser interrompida (por exemplo, “nenhum material disponível, portanto, não pode terminar a configuração do próximo lote”;
  • excelência operacional também é um tipo de avaliação que, em termos de revisão de dados durante um período prolongado, pode fazer a diferença, observando tendências e identificando ou concordando com outros alicerces importantes, como produção e engenharia, os projetos direitos a serem desenvolvidos para impulsionar a melhoria do OEE em direção ao objetivos de negócios e mudança de cultura de direção;
  • engenharia e a manutenção são fundamentais para garantir que o design e a confiabilidade do equipamento sejam mantidos com um alto padrão e envolvidos em análises de causa raiz muito detalhadas (difíceis de diagnosticar) usando ferramentas não específicas;
  • automação, para garantir que os alarmes certos sejam relatados e os sensores, funcionando;
  • produção sênior e gerenciamento corporativo, para garantir que todos os departamentos estejam empurrando na mesma direção para atingir os objetivos gerais da empresa;
  • garantia de qualidade para assegurar que os padrões elevados e otimização sejam mantidos durante todas essas melhorias.
O grande desafio a ser enfrentado — muitas vezes, desvantajoso — ao se tentar implementar o OEE nas organizações são as modificações de cultura. Um motivo bastante comum hoje é o de profissionais que se tornam frustrados ao receberem baixa ou nenhuma atenção por parte de seus chefes para investigar ou introduzir suas sugestões ou recomendações.

A utilização do indicador OEE vai além da determinação de um mero número que represente a eficácia do equipamento. O OEE permite, por meio da sua reprodução, encontrar os potenciais de aperfeiçoamento das máquinas. Esta melhoria está relacionada às perdas existentes no equipamento, que, se verificadas de maneira correta, mostrarão a direção da operação que as equipes de trabalho deverão seguir para garantir melhor eficiência.

Para isso, a ideologia do OEE é interferir no fator que compõe o indicador de pior atuação entre disponibilidade, que requer ações da manutenção e da própria produção, desempenho, o qual exigirá ações de processo ou manutenção e, por fim, qualidade, que necessita de ações por parte de todos os envolvidos em prol da melhoria do equipamento.

A análise do OEE permite, dessa forma, inter-relacionar todas as diferentes áreas da empresa por meio de um indicador, auxiliando os gestores na administração de recursos de suas áreas de negócio, assim como aponta os cuidados que a equipe deve ter em busca do aumento da eficácia global da companhia.

Portanto, é possível concluir que o OEE representa um ótimo instrumento de aferição, uma vez que ajuda na rápida tomada de decisão para resultados a curto e longo prazo impressionantes.

E então, o que achou de saber o que é OEE e como esse indicador pode fazer diferença na saúde tanto da sua empresa quanto na sua? Se surgir alguma dificuldade na hora de calcular ou implementar converse com um de nossos consultores, teremos muito prazer em ajudar!

Agora que você já sabe mais sobre OEE e como implementar na sua indústria, sugiro a leitura desse texto do nosso blog “Por quê é importante controlar o ritmo de produção da sua indústria?” que fala sobre o ritmo que a planta opera e como otimizá-lo.

Comentários
Powered by Rock Convert

Consultor de Gestão com mais de 10 anos de experiência em gestão em diversos setores da economia e em empresas de vários portes. Sócio fundador do Meu Gestor e trabalhando para resolver os problemas de gestão de pequenos empreendedores em todo o Brasil.

Um especialista do MeuGestor vai entrar em contato com você



Suas informações estão seguras.