Manutenção preventiva: qual a importância de realizá-la?

A maioria das empresas é repleta de máquinas e equipamentos importantes para o processo produtivo, mas poucas, de fato, realmente se preocupam com a manutenção preventiva. A frase “prevenir é melhor que remediar” deve ser levada em consideração aqui, pois, além dos custos se elevarem com as manutenções corretivas, a produção pode ser paralisada por mais tempo e o risco de acidentes aumenta consideravelmente.

Pensando nisso, preparamos um post exclusivo para você descobrir como gerenciar paradas para a manutenção preventiva de máquinas e equipamentos na sua empresa, bem como a importância de fazer isso regularmente. Confira!

 

Como gerenciar as manutenções preventivas na sua empresa?

Forme uma equipe própria para a função

O primeiro passo que você deve dar é nomear um ou mais profissionais que, de preferência, estejam em contato frequente com as máquinas e equipamentos para assumir a responsabilidade de fiscalizar e monitorar de perto as datas e planejar as ações de manutenções preventivas.

Para isso, você pode reunir os líderes do setor e nomear os manutencistas. Se eles tiverem ligação com SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho), será melhor ainda.

 

Se antecipe as falhas

O segundo passo é treinar alguns profissionais que lidam diretamente e diariamente com as máquinas e equipamentos da empresa para saberem identificar quando algo não está correto, comunicando a possível suspeita e paralisando as atividades.

Para esse passo recomendo a leitura desse texto explicativo sobre como treinar seus colaboradores para identificar falhas e como agir de acordo com a respectiva função no negócio.

Essa capacidade pode ajudar a prevenir que as máquinas e equipamentos continuem fazendo um trabalho forçado e se deteriorem ainda mais. Além disso, essa ação deve impedir acidentes.

 

Planeje as paradas

Sempre antes do prazo exigido pelas normas e padrões estabelecidos pelos fabricantes, programe as paradas de revisões para serem realizadas em datas que sejam mais propícias para a empresa.

Por exemplo: você pode escolher datas que, historicamente, são registrados volumes menores de produção, como épocas de férias coletivas, feriados de fim de ano, carnaval, períodos sazonais etc.

Powered by Rock Convert

Ao fazer isso, a parada das máquinas e equipamentos não influenciará tanto na produtividade.

 

Principais motivos para a realização da manutenção preventiva

Trata-se de uma norma regulamentadora

As ações de manutenção preventiva não são opcionais para a empresa. Pelo contrário, trata-se de uma regra determinada pela NR 12 (Norma Regulamentadora 12) que trata diretamente da segurança no trabalho e máquinas e equipamentos.

A norma diz que a manutenção preventiva é um dos requisitos mais básicos exigidos das empresas para evitar acidentes e prevenir doenças do trabalho.

 

Garante um tempo menor de paradas

Manutenções preventivas costumam gastar até 30% menos do tempo que seria gasto em uma manutenção corretiva. Isso significa um menor tempo de parada das máquinas e equipamentos, garantindo que a produtividade quase não seja afetada no processo.

 

Evita perdas maiores

Além de serem mais baratas, as manutenções preventivas evitam que as máquinas sejam forçadas a trabalhar com deficiências até a sua total exaustão.

A quebra e paralisação definitiva pode somar danos muito maiores que se imaginava e, muitas vezes, serem irreversíveis. Dependendo do estrago, a empresa terá que fazer novas aquisições, impactando diretamente no processo seguinte e até mesmo a produção como um todo.

Como você pode ver, a manutenção preventiva de máquinas e equipamentos é essencial para a empresa em vários aspectos.

Além disso, realizá-la regularmente deixará a empresa em conformidade com a NR 12. Então, converse com uma empresa com experiência em manutenção preventiva e agregue mais confiabilidade às operações do negócio ainda hoje.

Agora que você já sabe sobre a importância da manutenção preventiva das máquinas e equipamentos da sua empresa, descubra se o nível de atividade (produtividade) da sua planta está como planejado, nesse texto “Capacidade instalada: para que serve e como calcular?”.

Comentários

Consultor de Gestão com mais de 10 anos de experiência em gestão em diversos setores da economia e em empresas de vários portes. Sócio fundador do Meu Gestor e trabalhando para resolver os problemas de gestão de pequenos empreendedores em todo o Brasil.

Um especialista do MeuGestor vai entrar em contato com você



Suas informações estão seguras.